1 de abril de 2022

O Que É Open Finance? Entenda Esse Sistema E Seus Benefícios

O Que É Open Finance? Entenda Esse Sistema E Seus Benefícios
Entenda o que é Open Finance e descubra quais são as vantagens deste sistema.

Compartilhe este Post

Muitas pessoas ainda não sabem o que é Open Finance, quais são as diferenças entre ele e o Open Banking e também não conhecem os benefícios que esse sistema oferece à vida financeira dos correntistas de banco.

Com ele, é possível abrir uma conta em uma nova instituição utilizando dados da antiga conta e evitando recomeçar toda uma relação entre o cliente e o novo banco. Parece bastante prático, não é mesmo?

Então, continue a leitura desse artigo e saiba mais detalhes sobre esse assunto!

O que é Open Finance?

Uma dúvida bastante comum que surgiu recentemente é em relação à definição do que é Open Finance. Muitas pessoas já tinham ouvido falar em Open Banking, mas com esse novo sistema, alguns questionamentos vieram à tona.

O Open Finance, criado pelo Banco Central, é um sistema financeiro aberto que permite o compartilhamento dos dados dos clientes das mais diversas instituições financeiras. Ela atua de maneira complementar ao Open Banking (veremos as diferenças mais à frente), e tem como principal objetivo garantir mais praticidade e autonomia aos correntistas dos bancos.

Esse compartilhamento libera o histórico bancário da pessoa para outras instituições, que podem analisá-lo e oferecer produtos e serviços personalizados.

É importante destacar que o Open Finance depende 100% da autorização do dono da conta e pode ser cancelado a qualquer momento.

Para resumir a definição do que é Open Finance, vamos pensar em um exemplo prático:

Imagine que você é correntista há muitos anos no banco A. Porém, descobriu que o banco B está oferecendo um tipo de empréstimo bastante vantajoso que se encaixa no seu perfil financeiro. Então, você decide fazer a migração para o banco B, porém, todo o seu relacionamento com essa nova instituição começaria do zero.

Nesse caso, o valor do empréstimo que o banco B poderá te oferecer talvez não esteja condizente com o seu momento atual, afinal, ele não sabe se você é um cliente com um bom histórico de pagamento. Isso pode influenciar não somente nesta oferta de empréstimo, mas em outros serviços como disponibilização de cartões de crédito, aumento de limites do cartão, entre outros serviços. 

E é neste momento que o Open Finance entra para solucionar o problema. O compartilhamento do seu histórico com o banco B permitirá que ele conheça melhor o seu comportamento financeiro e entenda o seu perfil para adequar as ofertas que fazem sentido para você.

Qual é a diferença entre Open Banking e Open finance?

Agora que você já sabe o que é Open Finance, é hora de entender qual é a diferença entre ele e o Open Banking. E a resposta é simples.

Apesar de terem o mesmo objetivo de garantir um sistema financeiro aberto, o Open Finance inclui o compartilhamento do histórico não somente entre os serviços bancários, mas também para:

  • corretora de seguros;
  • fundos de previdência;
  • casas de câmbio;
  • plataformas de investimentos;
  • entre outros.

4 vantagens do Open Finance

Você já entendeu o que é Open Finance e descobriu qual é a diferença entre esse sistema e o Open Banking. Agora, é hora de ficar por dentro das vantagens que ele oferece. Confira as quatro principais:

1. Mais autonomia

A primeira vantagem do Open Finance é a autonomia oferecida às pessoas que autorizam esse procedimento em suas contas. Com esse sistema, é possível ter o controle da gestão dos dados financeiros. Portanto, você passa a ser responsável pela decisão de compartilhar suas informações com as diferentes empresas.

2. Mais praticidade

Com o Open Finance, o compartilhamento dos dados entre as diferentes instituições fica muito mais fácil. Assim, é possível reunir informações em um único lugar, facilitando consultas e otimizando a organização financeira.

3. Mais segurança 

O Open Finance é um sistema que garante a proteção dos dados dos clientes por meio de diversas camadas de segurança, além de ser supervisionado pelo Banco Central.

Além disso, todas as instituições participantes são obrigadas a atenderem pontos indispensáveis para garantir que todos os compartilhamentos de dados de clientes que forem realizados sejam feitos de maneira sigilosa.

Isso quer dizer que todo o sistema segue as regras da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que proporciona a preservação de informações e oferece ao cliente a certeza de privacidade desses dados.

4. Melhores condições nas ofertas de produtos e serviços

Com a facilidade de migração dos dados de um lugar para outro, será necessário que as instituições ofereçam produtos e serviços com melhores condições para não perder clientes para a concorrência.

Com isso, surgem oportunidades de serviços personalizados para atender às necessidades das pessoas da melhor forma possível, garantindo uma boa experiência e relacionamento entre cliente e instituição.

Alguns exemplos disso são:

  • aumento de limite de crédito;
  • redução nas tarifas bancárias;
  • pacotes de investimentos personalizados;
  • e muito mais!

Gostou do artigo? Então, confira também cinco dicas incríveis para aumentar o limite do seu cartão de crédito.

Compartilhe este post